Saiba como acionar o seguro DPVAT para ciclistas

No trânsito, seja veículo ou pedestre, todos estão sujeitos a sofrer um acidente. Segundo estatísticas, cinco pessoas ficam gravemente feridas por dia, em decorrência desses incidentes. Quando uma fatalidade acontece, é possível dar entrada no seguro obrigatório, pago anualmente pelos proprietários de automóveis, que cobre a maior parte dos gastos, desde indenizações até despesas hospitalares.

Mas você sabia que também é possível acionar esse seguro para ciclistas?

Confira abaixo o passo-a-passo que explica como exigir o DPVAT em caso de acidentes envolvendo bicicletas.


Conheça o DPVAT e como acioná-lo como ciclista (Reprodução/Migalhas)

O que é o DPVAT?

Antes de mais nada, é preciso entender o que é o DPVAT. O Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre está presente na categoria obrigatória de seguros que o motorista deve pagar para regularizar as condições do seu veículo.

Esse pagamento garante o reembolso de despesas médicas e indenizações em caso de morte ou invalidez permanente.
Para acionar o DPVAT, não são necessários intermediários, e nem saber quem foi o culpado. Basta a vítima, ou algum parente, ir a uma Companhia de Seguros e apresentar todos os documentos, como boletim de ocorrência, relatórios médicos, notas fiscais de despesas, e exigir a entrada.

Quando posso acionar o DPVAT?

Indenizações para vítimas em caso de morte ou invalidez permanente por acidente terreste – ou seja, o DPVAT não atua em acidentes aéreos ou marítimos;
Reembolso em caso de despesas médicas, hospitalares ou suplementares – como, por exemplo, cirurgia ou fisioterapia.

Por outro lado, o DPVAT não cobre:

  • Acidentes sem vítimas;
  • Danos pessoais ao veículo;
  • Multas de trânsito;
  • Acidentes fora do Brasil;

DPVAT para ciclistas

Poucas pessoas sabem que o seguro obrigatório também pode ser acionado por ciclistas envolvidos em acidentes.
Como o DPVAT não leva em consideração o culpado do acidente, apenas a existência de vítimas, é necessário que haja colisão entre a bicicleta e o veículo – em casos, por exemplo, de derrapagem da bicicleta, sem colisão, não há o direito de exigir o seguro.

Em caso de incidentes com automóveis e bicicletas, muitas vezes leva-se em consideração apenas o motorista do veículo, e não o ciclista. Por isso, existem algumas dicas para que se consiga o DPVAT sem maiores problemas:

  1. Sempre chame a polícia ou os bombeiros – os casos mais comuns de acidentes envolvendo ciclistas são os atropelamentos. Mesmo que a vítima esteja bem, chame uma autoridade, do contrário, o pagamento do seguro é dificultado;
  2. Pegue o nome do motorista e de testemunhas – em um futuro processo criminal, é importante ter todos esses dados anotados, inclusive a placa do carro;
  3. Tenha provas documentadas – se estiver em condições, tire fotos do local do acidente, da bicicleta e do carro. Reúna exames médicos, laudos e o corpo de delito, para poder apresentar na companhia de seguros depois;
  4. Dê entrada o quanto antes – ainda que o DPVAT reembolse os gastos até 3 anos depois do acidente, é importante solicitar o processo o mais cedo possível, para não ter imprevistos ou outras alegações.



Related posts